Shakespeare para programadores

Fala pessoal!

Hora ou outra vou postar alguns assuntos “off topic” para descontração ou temas fora de tecnologia. Muita gente já deve ter visto um poema de William Shakespeare (um dia você aprende). Pelo o que a Wikipedia diz, esse poema não é de autoria de Shakespeare e sim de Veronica A. Shoffstall (fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Um_Dia_Voc%C3%AA_Aprende_que…). Enfim… a ideia não é discutir o verdadeiro autor.

Depois de algum tempo você aprende a diferença, a sutil diferença entre dar um delete com e sem where.
E você aprende que programar não significa somente escrever código, e que https nem sempre significa segurança
E começa aprender que refactoring de código nunca será executado, tampouco promessas um código melhor
Começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos radiantes, com a graça de um programador – e não com a tristeza de um estagiário.
E aprende a construir todas os seus códigos sempre no hoje, pois a manutenção do amanhã é incerto demais, ao passo que o bug futuro tem o costume de cair para outro programador
Depois de um tempo você aprende que os olhos podem queimar se ficarmos com eles abertos durante muito tempo olhando para o monitor.
E aprende que não importa o quanto você programe: algumas pessoas simplesmente vão pedir mais e mais…
E aceita que não importa o quão bom seja o seu chefe, ela vai pedir para ficar até tarde sempre, por isto, você precisa estar sempre disposto a perdoá-lo.

Aprende que reclamar pode aliviar dores emocionais, mas apenas isso.
Descobre que se leva um certo tempo para construir confiança e apenas uma quebra de build para destruí-la; e que você, em um instante, pode fazer merdas das quais se arrependerá para o resto da vida.
Aprende que bugs continuam a crescer mesmo após longas horas de testes, e que, de fato, os bons e verdadeiros programadores foram aqueles que deixaram a empresa e não podem te ajudar.
Aprende que não temos que mudar de linguagem: se compreendermos que requisitos sempre mudam (assim como você), perceberá que seu melhor amigo e você podem passar longas noites trabalhando, e sem ganhar hora extra, tendo, assim mesmo, bons momentos juntos.

Descobre que as pessoas com quem você mais se importa na vida são afastadas de você pelo computador.
Por isso, sempre devemos deixar o backup do código antigo, pois cada instante que passa carrega a possibilidade do código não compilar mais; aprende que as circunstâncias e os dados dos ambientes de dev, hml e prod possuem influência sobre nós; começa a compreender que não se deve nunca fazer o merge deste ambientes

Descobre que se leva muito tempo para o seu código compilar, e que o tempo é curto. Aprende que não importa até o ponto onde já chegamos, mas o requisito de ultima hora sempre chegará, e se você não saberá que parte do código alterar, logo qualquer lugar servirá.

Aprende que: ou você escreve o código rápido e de qualquer jeito, ou acabará escravo de si mesmo; e que ser flexível não significa ser fraco ou não ter personalidade, pois não importa o quão delicada ou frágil seja uma situação, sempre existem dois lados a serem considerados, ou você termina no horário ou fica até a hora que terminar.

Aprende que heróis são pessoas que foram suficientemente corajosas para fazer o framework em 1 mês mas que eram necessários pelo menos 6 meses, enfrentando as conseqüências de seus atos. Aprende que o prazo nunca será suficiente. Descobre que, algumas vezes, a pessoa que você espera que o ajude a sair no horário, poderá ser uma das várias que vai quebrar a build. (…) Aprende que não importa em quantos camadas o projeto foi divido: simplesmente se o problema é em uma das camadas ou no banco você terá que consertá-lo.

Aprende SQL sem transaction é algo que não volta atrás. Portanto, plante você mesmo seu pé de café e separe sua garrafa de coca-cola – ao invés de esperar eternamente que alguém lhe traga um café quentinho na madrugada. E você aprende que, realmente, tudo pode suportar; que realmente é forte e que pode ir muito mais longe – mesmo após ter pensado não ser capaz. E que realmente existe vida social, e, você, o seu próprio e inquestionável valor perante a vida.